Ideias antigas

Fósseis, árvores, minorias, filhos e outras coisas fora de moda

Minha foto
Nome:

Apenas uma relíquia do Plioceno...

quinta-feira, outubro 18, 2007

Freakonomics florestal

UM AMIGO num cargo importante no governo mas que prefere (por isso mesmo) permanecer anônimo deu a seguinte explicação para a alta de 8% no desmatamento na Amazônia revelada ontem pelo Inpe. É tudo, ele diz, uma questão de Freakonomics.

Para quem acaba de chegar de Marte e não conhece, esse é o título do livro de Steven Levitt, menino-prodígio e economista da Universidade de Chicago que explica virtualmente tudo no mundo por correlações aparentemente esdrúxulas. A queda no índice de homicídios nos EUA na década de 1990, por exemplo, não decorreria da melhor distribuição de renda ou de melhoras na educação, mas sim no acesso facilitado de mulheres negras e pobres (mães de futuros marginais) ao aborto nos hospitais públicos.

Pois bem: a alta no desmatamento é culpa do "etanol 85", o biocombustível da moda nos EUA, feito com 85% de álcool de milho e 15% de gasolina.

Captou? Ele explica: a súbita febre do álcool de milho nos EUA fez o preço do grão subir. O milho escasseou na América do Norte, o que elevou os preços e tornou atraente seu plantio no Brasil.

Quem planta milho prefere terras mais planas, onde não chova demais nem de menos. Vastas áreas de Mato Grosso, Pará e Rondônia são adequadas a isso. Os agricultures preferem essas terras, e acabam comprando-as dos pecuaristas por uma grana preta. Como pasto dá em qualquer lugar, os ganadeiros ocupam novas áreas na floresta, na base do corte raso.

Como o corte raso emite 75% do carbono brasileiro, uma medida originalmente desenhada para combater o aquecimento global (o etanol 85) acaba por agravá-lo.

Lula deveria ler Levitt antes de prometer o paraíso dos biocombustíveis na ONU. Mas, como ele mesmo já cansou de declarar, prefere ver TV.

1 Comments:

Blogger :/ rodrigo primata said...

contra o aquecimento global, não vejo nada melhor que o vegetarianismo aliado a transporte público de qualidade (metrô e trens).

os governos deveriam promover o vegetarianismo.

7:10 PM  

Postar um comentário

<< Home